Sidebar

20
Sáb, Out

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Cerca de 3 mil servidores públicos foram às ruas nesta segunda-feira (12), em Brasília, num ato de protesto contra projetos nocivos ao serviço público e aos trabalhadores públicos brasileiros. A mobilização, que percorreu a Esplanada dos Ministérios até o Congresso Nacional, foi contra a agenda regressiva imposta pelo presidente Michel Temer, que ameaça gravemente a classe trabalhadora.

O risco iminente da aprovação de projetos de lei colocados em pauta por Temer no Congresso, entre eles, o PLP 257/16, a PEC 241/16, a MP 739/16, o PLP 559/13, que promovem o desmonte do Estado e retiram direitos dos trabalhadores, reuniu entidades sindicais e funcionários públicos das três esferas de poder. A manifestação ainda pediu a saída imediata de Michel Temer do governo e a realização de eleições diretas para presidente.

“Somos nós servidores públicos que puxamos este movimento pelo resgate histórico, sobretudo da Democracia Brasileira com a realização desta caminhada cívica dos servidores públicos, aqui em Brasília”, lembrou João Domingos, presidente Confederação dos Servidores Públicos do Brasil (CSPB), entidade unida à CTB em defesa da classe.

A concentração para a marcha noturna se deu às 19h30 na tenda personalizada da CTB, CSPB e Nova Central, com preparação de velas, de onde vários seguimentos de trabalhadores partiram, juntamente com os servidores públicos, até o encerramento da manifestação, em frente ao Congresso Nacional.

A categoria permanece em protesto na capital federal numa "Jornada Nacional de Luta" até quarta-feira (14). Nesta terça-feira (13), às 14h, está previsto o lançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público, no Senado Federal, com a participação dos trabalhadores e representantes das entidades. As entidades ainda preparam terreno, até mesmo, para uma greve geral, caso o governo insista na agenda de retrocesso e aniquilação dos serviços públicos.

“Vamos parar o Brasil se o governo não começar a ouvir e valorizar os trabalhadores do serviço público, até que todos os projetos nefastos à categoria e ao País sejam retirados de tramitação”, avisou João Paulo Ribeiro (JP), Secretário do Serviço Público e dos Trabalhadores Públicos da CTB.

De Brasília, Ruth de Souza – Portal CTB

Foto: Júlio Fernandes

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.