Sidebar

21
Ter, Ago

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Brasília. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) confirmou a decisão de ilegalidade da greve dos servidores Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), que completa a segunda semana. Segundo representantes dos trabalhadores, a greve paralisação vai prosseguir.

A justiça também estabeleceu a aplicação de multas à Federação Nacional dos Sindicatos de Trabalhadores em Saúde, Previdência e Assistência Social (Fenasps), no valor de R$ 100 mil por dia, em caso de descumprimento. A Fenasps argumenta que o relator esclareceu que não foi julgado o caráter da greve, portanto, não houve julgamento sobre a legalidade da greve.


"O STJ manteve a liminar concedida anteriormente ao governo sob a alegação de que não foram esgotadas todas as tentativas de negociação, fato este que não corresponde à verdade diante dos fatos apresentados pela assessoria jurídica no agravo regimental apresentado ao STJ", informa a nota da entidade.


A diretora da Fenasps Maria Helena da Silva, integrante do comando de greve, diz que o movimento continua e está mais fortalecido. De acordo com ela, a paralisação não vai ser suspensa enquanto o governo não apresentar alguma contraproposta às reivindicações da categoria.


"Estamos no aguardo do contato da presidência do INSS ou do ministro para uma conversa, como determinou o procurador´´, disse Helena, reafirmando que a entidade vai recorrer contra a manutenção da multa determinada pelo STJ. Para o Ministério da Previdência Social, a decisão do STJ foi unânime e ratifica a posição do ministro Og Fernandes.

Portal CTB com Agências

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.