Sidebar

18
Qui, Out

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O presidente e o ex-presidente da CTB-PA: Cléber Rezende e Marcos Fontelles, no 4º Congresso Nacional da CTB

O 4º Congresso Nacional da CTB, ocorrido entre os dias 24 e 26 de agosto, em Salvador aprovou uma moção contra as práticas antissindicais da empresa transnacional (que atua e possui capital baseado em diversos países) norueguesa Norsk Hydro. A gigante da mineração tem um parque industrial na cidade paraense de Barcarena, a Hydro Alunorte, e é a maior refinaria de alumina e produtora mundial de alumínio.

O presidente do sindicato dos Químicos de Barcarena, Gilvandro Brígida, e o presidente da CTB-Pará, Cléber Rezende, explicam que a demissão injusta do diretor Jhonny Mecklay foi o estopim do processo, mas que diversas ações da empresa nos últimos anos caracterizam prática sistêmica de assédio moral e atitudes antissindicais.

A moção pede a reintegração dos trabalhadores Jhonny Mecklay e Mauro Lemos ao quadro de funcionários. Eles foram demitidos em novembro do ano passado por motivos que configuram, na opinião dos sindicalistas, perseguição política pelo fato de os funcionários serem sindicalistas.

Trecho do documento que embasou a moção, redigido pelo vice-presidente do sindicato, Marcos Lobato:

"Como se observa, as práticas de assédio moral e as práticas aintissindicais, embora ora apareça juntas, hora apareçam separadas, fazem parte de um mesmo movimento que expressa inequivocamente uma política que busca instabilizar a atuação da organização dos trabalhadores e trabalhadoras nos seus espaços de representação, especialmente através do Sindicato, uma prática incondizente com os altos e avançados valores que a Norsk Hydro subscreve em acordos, tratados e normas como a SA 8000". 

O documento também aponta que não se trata de questão pontual ou ocasional, mas de prática sistêmica, fortemente institucionalizada e de caráter persistente: "sobretudo, dentro do quadro funcional do alto staff da Hydro Alunorte, de onde se esperaria a corporificação dos valores da empresa. Pois é exatamente nos quadros gerencial e até de diretores que observamos atônitos a renúncia e o desprezo daquilo que a empresa diz ser seus fundamentos".

Gilvandro Brígida destaca o fato de a empresa ser signatária de importantes tratados internacionais da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Organização Internacional do Trabalho (OIT). "Até por isso ela precisa fazer valer estes valores que defende em suas ações internas junto aos funcionários. Está havendo um grande descompasso entre o que ela diz defender e o que de fato tem feito no Pará", pondera Brígida.

Rezende acredita que o golpe institucional e o avanço conservador no Brasil , com perda de direitos trabalhistas, pode estar encorajando a empresa a praticar no Brasil o que não pratica em sua sede na Noruega. "Ficou claro que houve perseguição política pela atuação sindical do funcionário e se percebe que vem crescendo um movimento de marginalização dos sindicalistas dentro da empresa", diz o dirigente.

A moção intitulada "Em defesa da soberania nacional, contra práticas antissindicais da Norsk Hydro" denuncia:

"Os trabalhadores(as) brasileiros(as), reunidos(as) no 4º Congresso Nacional da CTB nos dias 24 a 27.08.2017, em Salvador (BA), considerando a atuação desrespeitosa da empresa transnacional Norsk Hydro (Noruega), que desrespeita os trabalhadores brasileiros e legislação nacional, perseguindo e cometendo crime de prática antissindical, demitindo dirigentes sindicais, notadamente no município de Barcarena (PA), onde industrializa o alumínio e bauxita, sendo detentora da cadeia produtiva do alumínio no Pará.
A Norsk Hydro não respeita, no Brasil, os acordos globais que assina e tampouco as convenções da OIT que a Noruega é signatária, numa prática diferente que essa empresa tem nos países da Europa.

Exigimos respeito ao Brasil, aos brasileiros e aos empregadores da Norsk Hydro, exigindo a imediata reintegração dos trabalhadores, dirigentes sindicais e que cesse essas práticas antissindicais.

Pela reintegração de:

Jhonny Mecklay, diretor eleito do Sindiquimicos, filiado à CTB.

Mauro Lemos, diretor eleito do Simeb (Sindicato dos Metalúrgicos de Barcarena)"

Portal CTB

 

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.