Sidebar

20
Dom, Jan

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Nesta quarta-feira (14/10), bancários realizaram ato em frente à agência do Bradesco Comércio, para reforçar a continuidade da greve. A população também foi informada do descaso com que os bancos tratam a mobilização e não retomam as negociações.

As organizações financeiras tiveram lucro de R$ 36,3 bilhões no primeiro semestre de 2015 e tiveram a vergonha de propor reajuste salarial de 5,5%, que não repõe a inflação, em 9,8%. A categoria reivindica 16% de reajuste salarial, assim como melhores condições de trabalho, contratações e redução dos juros.

O presidente do Sindicato da Bahia, Augusto Vasconcelos, reitera que enquanto as empresas não voltarem a dialogar e apresentar avanços, a greve continua. “É inadmissível que os bancos tratem os funcionários com tamanho descaso. É bom lembrar que os clientes também são desrespeitados".

Para o vice-presidente do SBBA, Euclides Fagundes, a proposta das organizações financeiras é vergonhosa. “O setor bancário não está em crise. É o mais lucrativo da economia nacional. E também o que mais explora".

“Não entendemos o silêncio dos bancos. Eles têm condições de oferecer o aumento reivindicado" ressalta a diretora Graça Gomes.

Fonte: Seeb BA

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.