Sidebar

21
Qui, Mar

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Trabalhadoras de diversas categorias, convocadas pelas centrais sindicais comemoraram o Dia Internacional da Mulher nesta terça-feira (18) na Cinelândia, centro do Rio de Janeiro.

Com concentração no início da tarde, a atividade comemorativa ocupou as escadarias da Câmara Municipal e parte da Praça Marechal Floriano por trabalhadoras que levantavam as bandeiras da luta pela igualdade de gênero e contra a violência contra a mulher.

Durante o ato, em demonstração de unidade na luta pela igualdade de gênero, as militantes abriram mão das cores e camisas tradicionais de cada central sindical e usaram uma camisa lilás unificada com uma frase que estampava a palavra de ordem que unificava o ato: “Mulheres nas ruas pela igualdade de direitos no trabalho e na vida”.

A manifestação contou com apresentações das sambistas do grupo “Marias do Zé” e de um casal de violonistas. Ao final, as escadarias da Câmara Municipal foram ocupadas pelas mulheres, cada uma segurando um cartaz com uma das reivindicações das mulheres trabalhadoras. Na avaliação da Secretária da Mulher Trabalhadora da CTB-RJ, Katia Branco, o ato foi vitorioso. 

"Foi um ato importante para comemorarmos o mês de março, mês da mulher. Um mês que não é só de comemoração, é de luta! Essa atividade aqui na Cinelândia foi um grande marco para o movimento das mulheres trabalhadoras do Rio de Janeiro porque reuniu a CUT, a CTB, a Nova Central, a Força, a UGT, enfim, diversas centrais sindicais que se unificam em bandeiras como o fim do fator previdenciário, a regulamentação da licença maternidade de 180 dias para todas as trabalhadoras, pela aprovação do projeto de lei que estabelece igualdade de oportunidades entre homens e mulheres, pelo fim da violência contra a mulher e por mais creches". afirmou a dirigente.

A manifestação teve um clima festivo e reivindicatório, com muita música e intervenções das mulheres trabalhadoras, representantes de movimentos sociais e de lideranças do poder legislativo, mas também houve um momento de tristeza e revolta. Em unidade as mulheres trabalhadoras cobraram justiça por conta do assassinato da trabalhadora Claudia da Silva Ferreira, morta após ser arrastada por uma viatura da polícia militar na zona norte do Rio de Janeiro. Em homenagem à Claudia, as sindicalistas fizeram um minuto de silencio e encerraram o ato com gritos de “Claudia, presente!”.

Fonte: CTB-RJ

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.