Sidebar

24
Seg, Jun

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Na cidade das mangueiras e do Círio de Nazaré, Belém, capital do Pará, a manifestação do 30M (30 de maio), que reuniu estudantes, professores, sindicalistas e populares em geral no segundo Dia Nacional em Defesa da Educação e Contra Reforma da Previdência do governo Bolsonaro, levou 60 mil pessoas as ruas. 

A União Nacional dos Estudantes (UNE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), sindicatos de profissionais da educação básica e superior e as Centrais Sindicais protestaram contra os cortes das verbas na área da educação e também contra a Reforma da Previdência do governo federal, as mais de 60 mil pessoas saíram às ruas do centro de Belém, em caminhada da Praça da República até São Brás.
“As manifestações, no Pará e no Brasil, refletem a elevação das insatisfações da população com as medidas e ações do governo federal que atacam aos interesses dos estudantes, dos trabalhadores e trabalhadoras e do povo em geral”, afirmou Ellana Silva, diretora da UNE. Já o sindicalista Ronilson Sales, dirigente da CTB/Pará e do SINDFORTE, disse: “É o povo organizado e mobilizado buscando saídas para a crise que o governo Bolsonaro criou para o Brasil. É a juventude e a classe trabalhadora construindo, no presente, o futuro da nação brasileira”,
Dia 14 de junho será a grave nacional contra a Reforma da Previdência e de todos os ataques nefastos do governo de Jair Bolsonaro aos interesses das brasileiras e brasileiros. O que precisamos é do fortalecimento da educação, da geração de empregos e de aposentadoria digna, não de retirada de direitos.

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.