Sidebar

24
Seg, Jun

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

 A CTB Alagoas divulgou nesta sexta (7) uma nota oficial de apoio aos trabalhadores e trabalhadoras da educação na cidade alagoana de Arapiraca, que estão em greve há dois meses. Eles pedem o reajuste de 7,6% para adequar o salário da categoria ao piso nacional dos educadores.  

Nota de apoio e solidariedade

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil em Alagoas, CTB-AL, vem por meio desta emitir seu total apoio aos trabalhadores da educação do Município de Arapiraca, que se encontram em GREVE e com muitas lutas já há dois meses e se veem diante da falta de uma proposta digna e capaz de selar a volta às aulas de mais de 30 mil alunos.

A categoria pede o realinhamento dos vencimentos em 7,64% adequando o salário pago em Arapiraca ao PISO NACIONAL dos educadores, por outro lado a proposta feita pela prefeitura de reajuste de 2,33% em setembro não representa à realidade do Município e nem à da categoria em greve.

Desse modo, também, repudiamos com veemência o corte no salário dos servidores, em JUSTA GREVE, e alertamos para o que isso significa, pois isso simboliza um péssimo início de governo, que durante toda sua campanha eleitoral ululou que valorizaria a educação e continua a fazer isso com verbas empreendidas em campanhas publicitárias, mostrando um compromisso artificial com a formação intelectual dos nossos jovens.

O corte nos salários dos professores traz consequências para toda a cidade, pois diminui os recursos em circulação no comércio local, ameaçando o emprego de outras categorias.

Sendo assim, exigimos do Prefeito Rogerio Teófilo/PSDB que respeite os arapiraquenses, fazendo uma proposta condizente com as necessidade dos trabalhadores, dando condições para o fim da greve.
Por fim, orientamos aos nossos sindicatos filiados que se comprometam com o apoio irrestrito aos educadores de Arapiraca.

Arapiraca, Alagoas, 06 de junho de 2017.

Direção da CTB - Alagoas

Portal CTB

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.