Sidebar

26
Ter, Mar

Fonte
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

Em pé, o presidente do Sinpro, Eduardo Vasconcelos (de branco), e o secretário geral da CTB-AL, Nivaldo Mota

Professores e funcionários técnico-administrativos do Colégio Superação, localizado no bairro Cidade Universitária, parte alta de Maceió, foram surpreendidos no início desta semana com demissão coletiva sem aviso prévio. Ao chegarem para trabalhar eles receberam a informação de que 40 pessoas foram despedidas.

Revoltados, houve até um princípio de tumulto dentro do estabelecimento de ensino. Uma funcionária, que pediu para não se identificar, disse que algumas Carteiras de Trabalho e Previdência Social (CTPS) estão apreendidas com a direção do Colégio e “muitas nunca foram assinadas”.

“Foi o maior constrangimento quando chegamos aqui e fomos informados que estávamos demitidos, fora que tem gente com três meses de salários atrasados”, diz a funcionária.

Ainda de acordo com ela, a intenção da direção do colégio é substituir os professores demitidos por estagiários.

A direção do Colégio Superação foi trocada há pouco tempo e o fato ocorreu no que parece ser o primeiro dia da nova diretora, Elizângela Sodré.

Também há indício de que o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) do estabelecimento, que foi anexado à CTPS dos funcionários, está errado. Buscas na internet apontam que o número é igual ao de uma distribuídora.

A reportagem tentou contatar a direção do Colégio Superação, mas ninguém atendeu aos telefonemas.

Sindicato

O Sindicato dos Professores de Alagoas (Sinpro), que é ligado à CTB Alagoas, denunciou o caso ao Ministério Público do Trabalho (MPT) na quinta-feira (6). Segundo seu presidente, Eduardo Vasconcelos, será solicitado urgência em relação ao caso.

“Vamos pedir a urgência porque essa situação é muito grave. Trata-se de demissão coletiva sem o acompanhamento do sindicato e do MPT. Além disso, há relatos de salários atrasados e apreensão da CTPS”, comenta Eduardo Vasconcelos.

Ele adiantou que nesta sexta-feira (7) será realizada uma reunião entre o Sinpro, professores e técnico-administrativos do Colégio Superação. “Se avaliarmos que há a necessidade de ir ao colégio, o faremos já na segunda-feira [10]. Organizaremos uma manifestação na porta da escola”.

Ainda na tarde desta quinta-feira, dirigentes do Sinpro e do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino Privado de Alagoas (Sintep) irão ao Colégio tentar conversar com a nova direção do estabelecimento de ensino.

Eduardo Vasconcelos também diz que um vídeo com o momento no qual os trabalhadores do Colégio Superação foram avisados da demissão – e o princípio de tumulto – chegou a ser publicado nas redes sociais, mas foi retirado do ar na manhã desta quinta-feira. No entanto, o áudio da conversa segue circulando na internet.

Fonte: Tribuna Hoje

Portal CTB

0
0
0
s2sdefault

Quer saber o que acontece no movimento sindical e no mundo do trabalho?

Digite seu nome e e-mail para receber gratuitamente nosso informativo.